Bem Vindos

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Fumar durante a amamentação diminui a produção e a qualidade do leite materno

02/08/2012
Fumar durante a amamentação diminui a produção e a qualidade do leite materno
Por Érica Santos

O leite materno é a melhor fonte de nutrição para o bebê. O alimento possui os nutrientes necessários para o desenvolvimento da criança. Já no caso das mães fumantes, isso muda. O consumo de tabaco traz uma série de riscos a saúde da mãe e principalmente do bebê, pois altera e diminui a produção e qualidade do leite materno.

É o que explica a nutricionista e responsável técnica pelo Banco de leite Humano do Hospital Fêmina (RS), vinculado ao Ministério da Saúde, Beatriz Strepel. “O tabaco reduz o volume de leite produzido e afeta a produção dos nutrientes do leite. Todas as substâncias do tabaco passam por meio do leite materno para o bebê”.

A recomendação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de não fumar durante a amamentação. Para as mães que ainda não largaram o vício, o correto é diminuir a quantidade de cigarros. O banco de leite humano do Hospital Fêmina segue as orientações da OMS e do Ministério da Saúde e não aceitam doadoras que consomem mais de 10 cigarros por dia. “Em função do cigarro, muitos bebês nascem prematuros e mesmo que essas mães não sejam doadoras para o banco, elas vão coletar o leite para os seus bebês. Por isso o ideal é reduzir o número de cigarros”, diz.

Mulheres fumantes tendem a amamentar menos do que as que não fumam. Em razão do vício, por muitas vezes, elas ficam desmotivadas a amamentar e interrompem precocemente o período de amamentação. Para minimizar os efeitos do cigarro na criança, as mulheres que não conseguirem parar de fumar devem ser orientadas a reduzirem o máximo possível o número de cigarros. Se não for possível parar de fumar, o ideal é que a mulher fume depois das mamadas. “Apesar dos riscos que as mulheres fumantes apresentam, o leite materno ainda é a melhor fonte de nutrição para o recém-nascido. Recomendamos é que as mães não fumem em ambientes fechados e nunca na presença do bebê para evitar problemas respiratórios”, finaliza.

Amamentação - O leite materno tem tudo o que os bebês precisam para crescer com saúde. Se a mãe reduzir a quantidade de cigarros, o leite ainda é melhor do que os leites de fórmula. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera ideal que 90% a 100% das crianças menores de seis meses tenham o leite materno como alimento exclusivo.

Homens lideram redução do tabaco - A frequência de fumantes continua maior em homens (18,1%) do que entre as mulheres (12%). Porém, é a população masculina quem também lidera a redução do hábito de fumar entre os brasileiros: um quarto dos homens declarou ter abandonado o cigarro (25%).

Uma série de medidas para reduzir a atratividade do cigarro vem sendo liderada pelo Ministério da Saúde. Dentre elas, destacam-se a proibição de publicidade do tabaco, a adesão à Convenção-Quadro do Controle do Tabaco de 2005, aumento das alíquotas dos impostos para 85%, proibição de fumódromos e a ampliação do espaço reservado às advertências sobre os efeitos danosos do fumo nos maços. Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu os aditivos de sabores e aromas no cigarro.


Fonte : Ministério da Saúde