Bem Vindos

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Resumo do Livro " O Conde de Monte Cristo"



             RESENHA DE " O CONDE DE MONTE CRISTO"
                              ALEXANDRE DUMAS
                              EDITORA SCIPIONE
          ADAPTAÇÃO TELMA G CASTRO ANDRADE
                      SÉRIE REENCONTRO INFANTIL 2001
                
Resultado de imagem para imagens do livro o conde de monte cristo




 Uma grande  multidão aguardava os navios no porto de Marselha, na França. O senhor Morrel, dono de um navio, chamado Faraó e seu filho perceberam que a bandeira do navio estava a meio mastro, isso significa que houve morte no navio.
Logo no desembarque o imediato do navio Sr. Edmond Dantés comunicou a morte do capitão Leclére, vítima de uma febre.
A jovem Mercedes aguardava ansiosa seu noivo Sr. Edmond Dantés, pois se casariam após esta viagem.
Mas Fernand Mondego, primo de Mercedes e apaixonado por ela não gostava nada da ideia do casamento de Mercedes com Edmond Danté.
O Sr. Danglars comissário, odiado por todos do navio ficou com muita raiva, por Edmond Dantés, ter assumido o comando do navio, com a morte do capitão Leclére. Foi até o dono do navio, Sr. Morrel e reclamou que Edmond durante a viagem, desviou o navio para a ilha de Elba, para  a pedido do capitão, entregar uma carta a alguém.
O sr Morrel disse a Danglars que o Sr. Edmond teria uma boa explicação sobre o ocorrido. Edmond foi falar com Morrel e explicou que o capitão Leclére pediu a ele que antes de morrer que levasse uma carta para o marechal Bertrand  na ilha de Elba.
Bertrand era um oficial de Napoleão Bonaparte, que naquele tempo estava banido da França.
O Sr. Moreal comunica Edmond que ele será o capitão do navio.
Edmond só pede uma licença para seu casamento e para levar uma carta resposta de volta a Paris.
Edmond se encontra com Mercedes na saída do navio e Fernand observa o casal com muita inveja. Fernand vai a uma taberna. Na taberna se encontram o Sr. Danglars, comissário do navio,  Fernand primo de Mercedes e Candessouse, vizinha de Edmond, que havia cobrado por ameaça uma dívida do pai de Edmond.
 O primo de Mercedes, Fernand, fica furioso quando sabe do casamento dela com Dantés.
Fernand e Danglars, o comissário do navio, tramam em separar o casal de noivos. Danglars sabe da carta que Edmond levou para a ilha de Elba e da resposta-carta que ele tem que entregar em Paris. Eles falsificaram um bilhete contando sobre as cartas, e mandam entregar as Sr. Villefort, o Procurador do  Rei.
No dia seguinte, quando Edmond e Mercedes estavam no altar prestes a casar, Edmond é preso e levado à presença do juiz  Villefort. Edmond confirma ao juiz Villefort que recebeu do falecido capitão uma carta que levou a Bertrand e que esse pediu que levasse a resposta a uma pessoa chamada François Noitier. Villefort acha a carta-resposta nos pertences de Edmond, lê e a queima.
O juiz diz que queimou  a carta por segurança de Edmond e que era a única prova contra ele, e no dia seguinte, estaria livre.
Na verdade François era pai de Villefort. Aquela carta enviada pelo marechal seria prova de que ele conspirava para o retorno de Napoleão. Se o rei soubesse, disso  o juiz estaria perdido.
No dia seguinte  Edmond é levado de barco por quatro soldados a uma ilha, onde ficava o castelo de IF, onde ficam os traidores. 
 O juiz tinha enganado Edmond Dantes. 
Ele foi acusado de ser um seguidor de Napoleão Bonaparte.
 Nesta prisão fica 15 anos e conhece um padre preso lá também, que antes de morrer lhe entrega um mapa, de um tesouro que esta na ilha de Monte Cristo.

Daí pra frente muitas coisas acontecem, até a vingança final.

Esta história é um marco da nossa Literatura.

Recomendo  a leitura.