Bem Vindos

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Outubro Rosa

                       OUTUBRO  ROSA

Entramos no mês de outubro, e com ele além da continuação da primavera, comemoramos o  início da Campanha Outubro Rosa, que marca  o combate e prevenção ao câncer que mais mata mulheres no mundo, que é o de mama.
O nosso objetivo é concientizar o maior número possível de mulheres, para esta doença grave, que mata muitas mulheres ainda nos dias de hoje. 

Mas não adianta as mulheres se concientizarem, irem fazer o exame e o governo não dar estrutura aos hospitais, postos de saúde e afins,  para tratar estas mulheres, pois o descaso que vemos na saúde brasileira, por parte dos nossos governantes, políticos e outros é muito grande. 
O grande nível de corrupção, de desvio do dinheiro público, que deveria ser direcionado para infra estrutura da saúde pública no Brasil em especial, deixa a população à deriva. 
Muitas pessoas com diagnóstico de cancêr, levam meses até poder fazer um exame mais específico, e a demora no começo do tratamento, também contribui para as estatísticas de morte por cancêr, não só de mama.
O povo brasileiro precisa ficar mais atento, mais alerta, em quem vota nas eleições. A falta de compromisso com o povo, o individualismo, a prepotência ronda as campanhas e ilude as classes mais carentes, que são inclusive os mais prejudicados.
Vote em gente que tem compromisso com a verdade do Brasil, não se iluda com discursos copiados e decorados ano a ano, para ludibriar o povo brasileiro. 
  
Por isso eu insisto em campanhas de leitura, em informar o povo, pois o povo que lê, que se atualiza, não é facilmente enganado.
Temos que lutar pela nossa saúde, reclamar, insistir, não vamos morrer na praia.
Coloquei abaixo alguns dados, para enterdermos o que é a Campanha Outubro Rosa, e alguns dados estatisticos sobre esta grave doença, o cancêr de mama.

Como surgiu o Outubro Rosa?
 
   O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

   A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade (www.komen.org). 
   Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas a prevenção do câncer de mama, denominando como Outubro Rosa. Todas ações eram e são até hoje direcionadas a conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce. Para sensibilizar a população inicialmente as cidades se enfeitavam com os laços rosas, principalmente nos locais públicos, depois surgiram outras ações como corridas, desfile de modas com sobreviventes (de câncer de mama), partidas de boliche e etc. (www.pink-october.org).
   A ação de iluminar de rosa monumentos, prédios públicos, pontes, teatros e etc. surgiu posteriormente, e não há uma informação oficial, de como, quando e onde foi efetuada a primeira iluminação. O importante é que foi uma forma prática para que o Outubro Rosa tivesse uma expansão cada vez mais abrangente para a população e que, principalmente, pudesse ser replicada em qualquer lugar, bastando apenas adequar a iluminação já existente.
   A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em em torno de tão nobre causa. Isso faz que a iluminação em rosa assuma importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

Estatísticas câncer de mama

Frequência de mulheres e homens com câncer de mamaO câncer de mama pode ocorrer tanto em homens como em mulheres, no entanto, é muito mais comum em mulheres (nos Estados Unidos, por exemplo, mil vezes mais mulheres são afetadas pelo câncer de mama do que homens).
Nos países ocidentais, este tipo de câncer é uma das principais causas de morte entre as mulheres.
O câncer de mama em relação a outros tipos de câncerO câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum no mundo (isso pode variar dependendo do país) e tipo de câncer mais comum entre as mulheres, correspondendo a quase 22% dos novos casos de câncer.
Taxa de sobrevida no câncer de mamaA taxa de sobrevida de 5 anos é de 61% a nível mundial. Já em um país desenvolvido como os Estados Unidos, a taxa de sobrevida de 5 anos ao câncer de mama é de 89% (fonte: Webmd.com, outubro de 2012).
Frequência na populaçãoNos Estados Unidos, uma em cada oito mulheres teve, tem ou terá câncer de mama. Em outros países, como o Japão, a proporção de mulheres afetadas pelo câncer de mama é menor (diferentes hábitos alimentares ou a genética podem explicar a discrepância).
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a incidência de câncer de mama aumentou 10 vezes desde 1960 e 1970. No entanto, a partir dos anos 2000, houve uma estabilização nos números de casos (pelo menos nos países ocidentais), possivelmente devido a uma melhor triagem e detecção do câncer bem como a uma diminuição na adesão da terapia hormonal de substituição (THS).
Número de casos de câncer de mama (diagnóstico e morte).Em 2011, havia 1,5 milhões de pessoas diagnosticadas com câncer de mama no mundo [fonte: Relatório Mundial do Câncer de Mama 2012].
De acordo com a OMS, o câncer de mama provoca 450 mil mortes anualmente em todo o mundo.
Nos Estados Unidos, em 2012, estima-se que houve 226.870 mulheres e 2.150 homens diagnosticados com câncer de mama. Estima-se também que neste mesmo ano, o número de mortes em decorrência do câncer de mama foi de 39.510 mulheres e 410 homens (fonte: Webmd.com, outubro de 2012).
Idade média no diagnósticoNos Estados Unidos, a idade média no diagnóstico do câncer de mama é 61 anos.
Brasil

No Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), são esperados de 49.400 novos casos de câncer de mama em 2010, com um risco de 49 casos a cada 100 mil mulheres, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, onde já existe uma concentração maior de diagnósticos da doença. Segundo dados do DataSUS do Ministério da Saúde, o número de mulheres que morreram por causa do câncer de mama aumentou 45% em 10 anos.  


Causas câncer de mama    

O câncer de mama não tem uma causa única. Diversos fatores, tanto genéticos quanto ambientais, podem influenciar o aparecimento e o desenvolvimento do câncer de mama.
Cientistas estimam que 5-10% dos casos de câncer de mama estejam relacionados a mutações gênicas que foram transmitidas através da família, sobretudo os genes BRCA1 e BRCA2 que também podem aumentar as chances de câncer de ovário. A idade constitui outro fator de risco para a doença, uma vez que há um aumento rápido na incidência do câncer de mama à medida que se envelhece (principalmente após os 50 anos).
Outros fatores de risco que os cientistas acreditam estar relacionado ao câncer de mama são:
- Ser do sexo feminino;
- Exposição à radiação ionizante em idade inferior a 35 anos;
- Obesidade;
- Menarca precoce (idade da primeira menstruação);
- Menopausa tardia (idade da última menstruação);
- Ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos;
- Nuliparidade (não ter filhos);
- Fazer terapia de reposição hormonal pós-menopausa;
- Ingestão regular de álcool, mesmo em quantidades moderadas;
- Ocorrência   de câncer de mama, sendo esse um dos principais fatores de risco para desenvolvimento de uma nova doença.

Fonte:WWW.OUTUBROROSA.ORG.BR

           WWW.CRIASAUDE.ORG.BR 

 

Por favor mulheres do mundo inteiro, vão fazer os exames para prevenir esta doença tão triste que é o cancêr de mama.