Bem Vindos

terça-feira, 16 de abril de 2013

Poesia de Roseana Kligerman Murray

                                          O guarda-noturno




        Numa noite muito antiga
        um guarda-noturno apita
        como locomotiva
        atropelando o sono.

       Tem alguma coisa de trite,
       alguma coisa de bicho
       nesse apito comprido e solitário.

       Até os ladrões sew comovem,
       e furtivamente, por um momento, 
       se arrependem e trocam de profissão.



                                          O   poeta

       O poeta vai tirando da vida
       os seus poemas
       como pássaros desobedientes
       e amestrados.

        A palavra é seu castelo,
        sua árvore encantada, 
        abracadabra constriondo o universo


   Titulo :  Artes e Ofícios
   Coleção Falas poéticas
   Editora : FTD  1990