Bem Vindos

segunda-feira, 11 de março de 2013

Resumo - O Baú Voador - Hans Christian Andersen -

Título :   O Baú Voador
Autor :   Hans Christian Andersen
Editora : Rideel
Coleção : Conta pra mim

    Muito tempo atrás, em um reino distante havia um mercador muito rico, pois ele guardava tudo que ganhava em seus negócios.     
Quando ele morreu deixou seu dinheiro para seu filho único que começou a gastar toda sua fortuna. Tanto gastou que acabou sem nada, e sem amigos também. Um único amigo lhe deu um baú mágico, com uma mensagem que dizia: use o baú voador  e mude-se para outra cidade.
O rapaz enfiou-se no baú e começou a voar, até que chegou na Turquia, deixou o baú na mata escondido e foi caminhar na cidade mais próxima. 
No centro da cidade havia um enorme castelo, com janelas muito altas e vigiado por muitos guardas. Ele perguntou a alguns homens, porque o castelo tinha janelas tão altas e era tão vigiado? 
Eles disseram que o castelo pertencia a um rei e que na torre, mora sua filha. quando ela nasceu um mago previu que seria muito infeliz por causa de um certo noivo. Por isso, os pais a trancaram na torre.
 O jovem voltou pra mata, pegou o baú e voou até a janela do castelo e entrou, a princesa estava dormindo ,ele não resistiu , a beijou e ela acordou assustada.
 Ele lhe disse que era o deus dos ares. Sentou a seu lado e lhe contou várias histórias e por fim perguntou se ela queria se casar com ele. 
Ela aceitou, mas ele precisava da aprovação dos pais dela. Ela pediu que voltasse no sábado a tarde para conhecer o rei e a rainha. 
Ele concordou. E ela lhe disse que os pais gostavam de ouvir histórias, divertidas e instrutivas. 
Conforme combinado, ele lá estava na hora e dia marcado. Ele contou-lhes diversas histórias e eles ficaram felizes e concederam a mão da princesa em casamento. 
Mensageiros reais espalharam a notícia do casamento por todos os lugares. 
O noivo animado resolveu estourar fogos de artifícios para comemorar o casamento. Entrou no baú voador e foi bem alto para estourar os foguetes. Depois desceu e escondeu o baú na mata e foi a cidade ver o que todos acharam do espetaculo.  Continue lendo...
Todos amaram. Quando voltou ao bosque uma surpresa o aguardava. O baú mágico havia se queimado todo. Uma faísca perdida dos fogos de artifício caíra em cima dele incendiando-o e reduzindo-o a cinzas. O jovem agora não podia alcançar a futura noiva no castelo. O deus dos ares não poderia nunca se apresentar à porta do castelo, como um simples mortal. No dia seguinte a princesa ficou esperando o noivo. Esperou ainda alguns dias e cada vez mais triste, até que finalmente entendeu a profecia do mago. O filho do mercador saiu pelo mundo contando histórias, mas nunca nenhuma outra foi tão instrutiva e divertida como aquela que havia inventado para o rei e a rainha.